STAL participa no 10.º Congresso da Federação Europeia de Sindicatos de Serviços Públicos (FSESP/EPSU)

EPSU Congress2019 c33d8 O STAL participa, enquanto organização filiada, no 10º Congresso da Federação Europeia de Sindicatos de Serviços Públicos (FSESP/EPSU), que se inicia hoje e decorrerá até 7 junho, na cidade de Dublin. A delegação do sindicato é encabeçada pelo Presidente, José Correia, conjuntamente com Fátima Amaral, vice-presidente do sindicato e por Francisco Braz, actual membro do Comité Executivo da FSESP. O Congresso, que se realiza de cinco em cinco anos, tem este ano como lema “Lutar por um futuro para todos” e três temas centrais: — O futuro dos serviços públicos; — O futuro do trabalho nos serviços públicos; — O futuro dos sindicatos de serviços públicos.

Ler mais...

Novo acordo repõe três dias de férias em Loulé

STAL ASSINA ACEP COM O MUNICÍPIO

O STAL assinou com a Câmara Municipal de Loulé, no passado dia 27 de Maio, um novo Acordo Coletivo de Empregador Público que substítui o que está em vigor e acrescenta a recuperação dos três dias de férias roubados pelo anterior governo.

Assim, os trabalhadores da Câmara Municipal de Loulé terão um acréscimo de 3 dias de férias por ano como recompensa do seu desempenho, no caso da avaliação de desempenho obtida ser de adequado, relevante ou excelente.

A Direção Regional de Faro do STAL congratula-se com a disponibilidade da Câmara para assinar este novo ACEP, tendo o STAL sido o único sindicato a assinar o novo acordo que recupera mais três dias de férias para os trabalhadores do Município de Loulé.

Trabalhadores exigem manutenção dos horários de trabalho

almada 64e3bLIMPEZA E RECOLHA URBANA EM ALMADA

Os trabalhadores da Limpeza e Recolha Urbana do Município de Almada exigem a manutenção dos horários de trabalho vigentes e o reforço dos meios técnicos e humanos para aumentar a capacidade de resposta dos serviços.

Reunidos em plenário sectorial, nos dias 20 e 21 do corrente, os trabalhadores da Limpeza e Recolha Urbana do Município de Almada repudiam a tentativa do actual executivo camarário de desregular os horários de trabalho e acentuar a lógica de laboração contínua e de trabalho por turnos, com prejuízo para a sua vida pessoal e familiar.

Ler mais...

Grandiosa manifestação nacional da Frente Comum

TRABALHADORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PROTESTARAM EM LISBOA

Um mar de gente encheu as ruas da capital, trabalhadores provenientes de todo o País e dos vários sectores da Administração Pública desfilaram até à Residência Oficial do 1.º Ministro a exigir: o aumento dos salários e pensões, a reposição das carreiras e valorização das profissões, a contagem de todo o tempo de serviço, a revogação do SIADAP e a defesa dos serviços públicos.

Ver fotos

Novo acordo assinado em Mirandela

Acep Mirandela 7a4a2 REPOSIÇÃO DE DIREITOS AOS TRABALHADORES

O STAL assinou com o Município de Mirandela, no início do mês de Maio,um ACEP que permite repor direitos roubados aos trabalhadores nos últimos anos, nomeadamente: o acréscimo de três dias de férias, a dispensa no dia do aniversário, a dispensa sem perda de remuneração no dia do funeral de um familiar da linha colateral em 3.° grau (tio, tia, sobrinho, sobrinha), o gozo da Terça-Feira de Carnaval e a segunda feira de Páscoa.

STAL impugna roubo do direito à progressão

190228 ConcentracaoNacionalFC Mais Salario 43d99PONTOS DE AVALIAÇÃO NÃO PODEM SER SUPRIMIDOS

O STAL condena a determinação do Governo PS de impedir a progressão a trabalhadores detentores de dez pontos obtidos por avaliação do desempenho e manifesta a sua disposição de impugnar judicialmente todos os actos administrativos que acolham aquela disposição do Executivo.

Ler mais...

Pelo pagamento do abono por falhas em atraso

190502 GrevePiscinasCoimbra d863c GREVE ENCERRA PISCINAS DE COIMBRA

Os trabalhadores das três piscinas municipais de Coimbra cumpriram dois dias de greve, a 2 e 3 de Maio, com adesão da totalidade dos trabalhadores abrangidos, o que provocou o encerramento de dois dos três equipamentos.

Ler mais...

Empresa Intermunicipal Tratolixo retira faixas do 1.º de Maio

Tratolixo 97fd7 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO NÃO RESPEITA A ACTIVIDADE SINDICAL

Numa nota enviada hoje, 30 de Abril, à comunicação social, a Direcção Regional de Lisboa do STAL denuncia a atitude abusiva por parte do Conselho de Administração da Tratolixo, ao mandar retirar as faixas comemorativas do 1.º de Maio, afixadas pelos Delegados Sindicais do STAL naquela empresa.

Ler mais...

Mais prevenção, maior segurança

prevencao trabalho 2 2d5ff
28 DE ABRIL – DIA DE MEMÓRIA E REFLEXÃO
Mais prevenção, maior segurança

A CGTP-IN saúda o Dia Nacional da Prevenção e Segurança no Trabalho 2019 e exorta todos os trabalhadores a pararem um pouco neste dia para reflectirem sobre estas questões e homenagearem a memória de todos quantos morreram ou ficaram incapacitados no trabalho.

Ler mais...

É urgente valorizar os trabalhadores!

190411 Cartaz ManifNacionalFC STAL aae80 MANIFESTAÇÃO NACIONAL
10 DE MAIO - 14H30 - LISBOA

O governo PS, apesar de criadas as condições para uma efectiva mudança de políticas, tem falhado, por opção própria, e não apenas por imposições externas, na tomada de medidas que são cruciais para a melhoria das condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da Administração Pública.

Vale a pena lutar!
É PELA LUTA QUE LÁ VAMOS!

Ler mais...

Sindicatos preparam congresso «por um futuro para todos»

190409 ComiteMediterraneo EPSU 600px e4f1b COMITÉ DO MEDITERRÂNEO DA EPSU REUNIU EM OEIRAS

O Comité do Mediterrâneo da Federação de Sindicatos Europeus de Serviços Públicos (FSESP) realizou, dia 9, em Oeiras, uma reunião que se inseriu na preparação do congresso que terá lugar em Junho.

Ler mais...

É urgente ultrapassar estrangulamentos para garantir o futuro da ADSE-IP

190405 Comunicado ADSE FrenteComum288PX a0a0b FALTA DE PESSOAL, SUBMISSÃO AOS GRUPOS DA SAÚDE E INTERFERÊNCIAS DAS TUTELAS, FRAGILIZAM SUB-SISTEMA PÚBLICO DA ADSE

A falta de pessoal, cortes orçamentais impostos pelo Governo e a recusa em estabelecer novas convenções com prestadores de serviços de saúde estão a provocar estrangulamentos no bom funcionamento da ADSE-IP, pondo em causa o seu futuro e prejudicando o universo dos seus beneficiários.

A ADSE-IP conta actualmente com apenas 183 trabalhadores, número claramente insuficiente para assegurar o bom funcionamento do sistema em vários domínios.

A ADSE-IP precisa de contratar mais 25 técnicos superiores e 35 técnicos administrativos para prestar melhores serviços aos seus beneficiários, segundo os cálculos dos representantes. Em vez disso o número de funcionários tem vindo a diminuir por falta de substituição dos que se reformam ou requerem mobilidade para outros serviços.

A situação agravou-se com o corte de 1,5 milhões de euros no orçamento da ADSE para 2019, arbitrariamente imposto pelo Governo, com o único intuito de criar saldos anuais que depois são utilizados para reduzir o défice público. Isto apesar de a ADSE ser quase exclusivamente sustentada com os descontos dos beneficiários.

Falta de trabalhadores reduz eficácia do controlo

As orientações erradas, constrangimentos financeiros e falta de trabalhadores estão a ter consequências graves para os beneficiários e para a sustentabilidade da ADSE-IP.

No controlo da facturação e no combate à fraude, a ADSE-IP tem apenas 67 trabalhadores, número manifestamente insuficiente para processar mais de 590 milhões de euros de facturas do regime convencionado e do regime livre.

No regime livre, os atrasos nos reembolsos aos beneficiários já são superiores a dois meses, havendo várias centenas de milhares de documentos por digitalizar e confirmar a sua recepção.

São ainda necessários investimentos na área informática, com vista à instalação de sistemas de informação adequados, que permitam uma gestão mais eficiente dos descontos dos beneficiários, e serviços de auditoria capazes de identificar consumos excessivos e práticas fraudulentas.

Neste quadro, os representantes dos beneficiários nós órgãos da ADSE-IP têm exigido que o Conselho Directivo tome medidas urgentes para resolver as actuais dificuldades, em particular, no que respeita à abertura de concursos internos e externos para recrutar trabalhadores. Actualmente, não obstante os constrangimentos impostos pelo Governo, está aprovado um quadro de 210 trabalhadores, dos quais 27 lugares estão por preencher.

ALARGAR AS CONVENÇÕES, COMBATER A FRAUDE

Outro exemplo da inércia da actual gestão é o facto de a maioria do Conselho Directivo continuar a recusar-se a assinar convenções com novos prestadores e a aceitar a adesão de novos médicos.

Tal atitude tem criado dificuldades de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente nas cidades e nos concelhos interiores do País e contribuído para o aumento do domínio dos grandes grupos económicos da saúde.

Os representantes dos beneficiários consideram que a concentração do fornecimento de serviços de saúdeem poucos prestadores facilita e induz o consumo desnecessário, nomeadamente de meios complementares de diagnóstico e terapêutica, com o objectivo de aumentar a facturação.

Os representantes dos beneficiários reiteram a urgência de tomar decisões e assumir responsabilidades e não aceitar a interferência das tutelas governamentais em matérias que, por lei, estão fora da sua esfera de acção e são da competência exclusiva do Conselho Directivo da ADSE-IP.

Abertura da ADSE-IP aos CIT

Confirmando posições anteriores, os representantes dos beneficiários chamam a atenção para necessidade de abrir o sistema a cerca de cem mil trabalhadores do Estado com Contrato Individual de Trabalho (CIT) que actualmente não podem aderir à ADSE, e também reabrir o sistema aos não inscritos.

Esta medida, para além de fazer justiça a estes trabalhadores, melhoraria a sustentabilidade do sistema a médio prazo, segundo demons- trou um recente estudo encomendado pelo Conselho Geral e de Supervisão da ADSE.

Para além da abertura a novos contribuintes, o referido estudo recomenda ainda um rigoroso controlo da despesa, o combate à fraude e aos consumos excessivos, considerando que o Governo deve acabar com as cativações e permitir uma gestão mais flexível da ADSE-IP.

POR UMA ADSE PÚBLICA E DOS TRABALHADORES!

Ver Comunicado

Tomada de posição da Direcção Regional de Évora

151110 ManifCGTP QuedaGoverno a7c4c A propósito da notícia sobre a perda de mandato do Presidente e Vice-presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa, por cedência de transporte aos trabalhadores do município para, em 10 de Novembro de 2015, participarem numa manifestação, convocada pela CGTP-IN, de repúdio pela continuação da política de destruição dos direitos laborais, da exploração e do retrocesso social, que a constituição de um novo governo do PSD/CDS se preparava para prosseguir, na qual a Direção Regional de Évora do STAL é referida por, em nome dos seus associados e restantes trabalhadores, ter solicitado o referido transporte.

Ver comunicado

Governo não respeita os Sindicatos da Frente Comum

stalFC f836dCARREIRAS DE FISCALIZAÇÃO

No passado dia 28 de Março o STAL tomou conhecimento, através de Comunicado do Conselho de Ministros realizado nesse dia, que tinha sido aprovado um decreto-lei alusivo às carreiras de fiscalização.

Ler mais...

Correio da Paz

logo 182x210 78b3dO STAL é sócio colectivo do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) e afirma-se como um Sindicato empenhado no movimento de defesa da paz e de solidariedade com a luta dos povos e dos trabalhadores de todo o mundo.

 


Pela Paz, fim às armas nucleares!

O Conselho Português para a Paz e Cooperação, em conjunto com a Movimento de Municípios pela Paz, assinalando o 3º aniversário da aprovação do Tratado de Proibição de Armas Nucleares nas Nações Unidas, inaugurou hoje, dia 7 de Julho, no centro comercial Rio Sul, no Seixal, uma exposição contra as...

07.Jul..2020


Não à anexação! Fim aos crimes de Israel!

A Praça do Martim Moniz, em Lisboa, acolheu no dia 6 de Julho uma acção de solidariedade com o povo da Palestina, confrontado com a intenção do Estado de Israel de anexar 30% do território da Cisjordânia. Promovida pelo CPPC, o MPPM e a CGTP-IN, a acção contou com a presença de mais de uma centena...

07.Jul..2020


Fim à ocupação da Palestina e aos crimes de Israel!

No momento em que o actual governo israelita anunciou planos para, já no dia 1 de Julho, proceder a uma nova anexação de territórios palestinos na Cisjordânia, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) mais uma vez denuncia e condena tais planos de anexação, recordando que a grave...

01.Jul..2020


Ato público de solidariedade com a Palestina | 6 de Julho |18h30 | Lisboa

Perante a gravidade da situação na Palestina, face à intenção de Israel anexar vastos territórios da Cisjordânia, o CPPC, a CGTP-IN e o MPPM apelam à participação nesta acção. Diremos não à anexação e exigiremos das autoridades portuguesas que dela se demarquem de forma clara e inequívoca.

25.Jun..2020


STAL-Informa

Subscreva aqui a Newsletter e receba regularmente informação do STAL.

Partilhe connosco as suas preocupações