Privatizar a EGF é roubar

privatizaréroubarTrabalhadores das várias empresas do grupo EGF, protestaram hoje na Assembleia da República contra a privatização do sector dos resíduos. Nas galerias marcaram presença também vários autarcas, designadamente da Área Metropolitana de Lisboa e Região de Setúbal.

Neste dia esteve em debate um projecto-lei do Partido Ecologista «Os Verdes», que visava impedir o prosseguimento da privatização da Empresa Geral de Fomento (EGF).

Estiveram igualmente em debate duas apreciações parlamentares do PCP e PS, exigindo a manutenção deste sector na esfera pública.

 

Após as intervenções, os trabalhadores, que lutam há muito contra a privatização, afirmaram que « privatizar a EGF é roubar!»

E hoje mesmo cumpre-se o segundo dia de greve dos trabalhadores da AMARSUL, marcado pela unidade e forte adesão (superior a 90%), em defesa do acordo empresa e dos postos de trabalho, contra a destruição desta empresa.