Empresa Águas do Alto Minho promove trabalho precário

stal agua 25277A Empresa Águas do Alto Minho, S.A, que iniciou actividade a 2 de Janeiro de 2020 celebrou recentemente um contrato milionário com a empresa EGOR OUTSOURCING, no valor de 468.836,88 €, contratação de pessoal para as lojas de atendimento e atendimento telefónico, para um período de 3 anos. Tratando-se de necessidades efectivas e permanentes dos quadros de pessoal não se compreende o recurso a esta forma de contratação senão por má fé.

Ler mais...

STAL condena a intenção da Câmara Municipal de Elvas de privatizar a recolha de lixo

privatizarDepois da privatização do serviço público de abastecimento de água, sem que isso se tenha traduzido em melhores serviços e em preços mais acessíveis, bem pelo contrário, a maioria PS pretende entregar a recolha de lixo a uma empresa privada, comportando-se desta forma como uma espécie de comissão liquidatária dos serviços municipais.

O STAL condena firmemente esta intenção que, a concretizar-se, conduzirá, mais cedo que tarde, como as experiências de privatização noutras localidades demonstram, à redução da qualidade dos serviços, à degradação das condições de trabalho e ao aumento dos custos para o município e populações.

Ler mais...

STAL conquista subsídio extraordinário na AMBILITAL

200422 Pancartaz 1Maio Subsidio 9834aGARANTIR A SEGURANÇA E A VALORIZAÇÃO DOS TRABALHADORES

O STAL e o Conselho de Administração da AMBILITAL firmaram um acordo que prevê a atribuição do subsídio extraordinário no valor de 300€, a todos os trabalhadores, e garante durante o surto COVID-19, os rendimentos aos trabalhadores sujeitos a medidas de confinamento.

O STAL há muito que exige a valorização salarial e profissional dos trabalhadores da AMBILITAL, através do aumento anual e progressivo dos salários e da atribuição de suplementos remuneratórios, nomeadamente do suplemento de insalubridade, penosidade e risco, reivindicações que a atual situação de saúde pública a que estamos expostos, torna ainda mais evidente e inadiável.

Face à situação da pandemia de COVID-19, em Março, o STAL enviou um ofício ao Conselho de Administração (C.A.), reivindicando um conjunto de medidas excepcionais de Segurança e Saúde no Trabalho (SST) que deviam ser adoptadas pela empresa, das quais destacamos o “Pagamento integral da retribuição a todos os trabalhadores de forma a garantir a necessária tranquilidade social, o foco e a concentração daqueles que se encontram ao serviço”.

Ler mais...

75º aniversário da Vitória sobre o nazi-fascismo

75AniversarioFimGuerra 0cd3bPELA LIBERDADE, A PAZ E A VERDADE
NÃO AO FASCISMO E À GUERRA

No dia 2 de Maio de 1945, o Exército Soviético tomou o Reichstag, em Berlim. Poucos dias depois, a 8 de Maio, a Alemanha nazi assinava a sua rendição incondicional. No dia seguinte, 9 de Maio, milhões de pessoas comemoraram o dia que passou à História como o dia da Vitória.

Ler mais...

Mais que uma efeméride uma urgência nos locais de trabalho.

DiaPrevencao 5953928 DE ABRIL: DIA NACIONAL DE SEGURANÇA E PREVENÇÃO NO TRABALHO

No dia 28 de Abril comemora-se o Dia Nacional de Segurança e Prevenção no Trabalho, efeméride que o STAL saúda pela sua importância simbólica e relembrando que a Segurança e Saúde no Trabalho não podem consistir, apenas, num ato evocativo mas sim constituírem uma realidade e uma característica dos locais de trabalho.

Ler mais...

Comemorar Maio em luta

200421 cartaz 1 maio web d960a DEFENDER A SAÚDE E OS DIREITOS DOS TRABALHADORES

Vamos comemorar este 1.º de Maio num momento de grande complexidade no país e no mundo. A actual situação de pandemia inspira cuidados a todos, mas atinge de forma particular os trabalhadores.

São os trabalhadores que estão na linha da frente deste combate, assegurando a saúde e todos os serviços públicos essenciais, a produção e distribuição de bens e serviços essenciais, entre outras funções. Sem os trabalhadores nada funciona e são eles os mais afectados pelas respostas políticas desequilibradas e medidas que não têm em conta o respeito pelos direitos consagrados.

Cartaz

Hino CGTP-IN

Internacional

Ler mais...

Cumprir Abril - comemorações do 25 de Abril

25Abril 0144c Comemoramos 46 anos da Revolução de Abril – o heróico levantamento militar do Movimento das Forças Armadas, logo seguido por um amplo levantamento popular, que pôs fim a 48 longos anos de obscurantismo e ditadura fascista.

Mais do que uma data, o 25 de Abril assinala o início de um processo revolucionário protagonizado pelo povo e pelos militares progressistas que realizou profundas transformações e conquistas democráticas no nosso país – conquistaram-se liberdades e garantias, direitos políticos, económicos, sociais e culturais, afirmaram-se a soberania e a independência nacionais, que foram consagrados na Constituição da República Portuguesa.

Som móvel- apelo

Grândola Vila Morena

Hino Nacional

Ler mais...

É urgente reconhecer a exposição ao risco em serviços indispensáveis às populações

200413 Cartazes EPI SIPR V3 2683b Tal como noutros sectores essenciais à vida das populações, milhares de trabalhadores da Administração Local continuam a assegurar serviços indispensáveis à salvaguarda da saúde pública e à qualidade de vida das populações, expondo-se a riscos acrescidos sem qualquer tipo de compensação suplementar.

Cartaz

Comunicado

Uma questão de elementar justiça

A regulamentação e aplicação do suplemento de insalubridade, penosidade e risco na Administração Local é uma antiga e justa revindicação do STAL, que adquire especial acuidade no actual contexto.

Ler mais...

É urgente denunciar, condenar e combater firmemente qualquer tentativa de imposição de políticas de austeridade aos trabalhadores e aos povos

EPSU 7ab58STAL ENVIA CARTA AO GRUPO DO MEDITERRÂNEO DA FSESP

"Estimados Camaradas,

As primeiras palavras são de profunda amizade e solidariedade para convosco, desejando que se encontrem bem, para com o povo e os trabalhadores dos vossos países, e para com todos os que perderam familiares, amigos, companheiros.

Vivemos tempos extremamente duros: perda de milhares de vidas humanas, destruição do tecido social e económico, violação de direitos.

Sabemos que esta grave crise, tal como outras, não é simétrica, atinge e magoa mais uns que outros, países, pessoas, empresas. Em que os fortes tudo fazem para sair mais fortes à custa do empobrecimento dos mais pobres.

Ler mais...

STAL exige protecção prioritária para trabalhadores de primeira linha

bombeiro a6041FALTA DE EQUIPAMENTOS AMEAÇA PESSOAL DAS ASSOCIAÇÕES DE BOMBEIROS

Face à descoordenação e negligência da parte da administração central em assegurar meios de protecção aos trabalhadores de primeira linha, como é caso dos Bombeiros das Associações Humanitárias, o STAL enviou um ofício ao governo em que apela à tomada de medidas excepcionais.

Na missiva, enviada ontem, dia 6, o STAL considera «prioritária a protecção da saúde» dos trabalhadores que garantem e garantirão o funcionamento dos serviços de prestação de socorro no País, nomeadamente, os trabalhadores das Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários.

Ler mais...

Câmara Municipal do Montijo não cumpre os Decretos de Lei e coloca trabalhadores em risco

Montijo 65b12NOTA DA DIRECÇÃO REGIONAL DE SETÚBAL DO STAL

O STAL está consciente da sensibilidade do actual contexto que é novo para todas as partes envolvidas mas em simultâneo achamos que neste momento, como noutros, os decisores devem ver num Sindicato um contributo para as medidas a tomar até pelo facto de este ter experiência de outros contextos semelhantes. Este Executivo coloca um muro ao diálogo e à procura de soluções porque sabe o que está a fazer.

Ler mais...

STAL exige medidas extraordinárias para salvaguardar a saúde dos Sapadores de Braga, suas famílias e utentes

SapadoresBraga 18273CÂMARA DE BRAGA TEM DE ASSUMIR AS SUAS RESPONSABILIDADES

O STAL lamenta profundamente a ocorrência de contágios por COVID-19 a bombeiros profissionais, na Corporação dos Bombeiros Sapadores de Braga, manifesta a sua solidariedade para com toda a corporação e suas famílias e exige que a Câmara Municipal de Braga adopte medidas extraordinárias.

O STAL deseja, antes de mais, as rápidas melhoras a esses bombeiros sapadores infectados por COVID-19.

Numa altura em que o País trava uma enorme batalha para combater a progressão do vírus, o STAL não pode deixar de reivindicar que face ao actual cenário de contágio na corporação, que sejam rapidamente adoptadas medidas extraordinárias de acompanhamento e protecção da saúde dos bombeiros sapadores e da população de Braga.

Ler mais...

É tempo de humanizar

notaEcalma 8649c COMISSÃO SINDICAL DA ECALMA/WEMOB DENUNCIA IRREGULARIDADES

A Comissão Sindical da ECALMA/WEMOB denuncia que a empresa está a tomar medidas que põem em causa a segurança e a saúde dos trabalhadores, num momento em que o País é assolado pelo surto de COVID-19.

Numa nota enviada à comunicação social a Comissão Sindical dá nota de atitudes que desumanizam os trabalhadores sujeitando-os a desempenhar funções algumas das quais não são do seu âmbito e outras que consideram completamente desnecessárias neste momento.

Ler mais...

Atribuir subsídio de risco aos trabalhadores que desempenham funções essenciais à população

PR SIPR web f786fUMA QUESTÃO DE ELEMENTAR JUSTIÇA

"É uma evidência e uma justiça, têm toda a razão, tem de ser agora a apresentação de uma proposta", foi assim que Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República se pronunciou, quanto à exigência de regulamentação do suplemento de insalubridade, penosidade e risco, no decorrer de uma visita que fez, no dia 28, às instalações dos SIMAR de Loures e Odivelas, no Juncal.

Acompanhado pelo presidente da autarquia de Loures, Bernardino Soares e por Hugo Martins, presidente dos SIMAR, o Presidente da República recebeu das mãos dos representantes do STAL um dossier com o historial em torno da exigência de subsídio de risco para estes trabalhadores.

Ler mais...

A Frente Comum não aceita que as tristes declarações do Ministro da Economia se concretizem!

Sebastiao f345eNum quadro em que os trabalhadores da Administração Pública estão na linha da frente do combate à pandemia que se vive, consideramos absolutamente inaceitáveis as declarações do ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, em que se refere a possibilidade de não haver aumentos de salários no próximo ano na Administração Pública.

Os trabalhadores da Administração Pública, que agora respondem “estamos presentes” e que estão na linha da frente, fazendo-o desde o primeiro momento, são os mesmos que perdem poder de compra desde 2009, e não aceitam que a reboque de uma pandemia se continue a desenvolver uma política de baixos salários, de desinvestimento nos serviços públicos e nos seus trabalhadores, política essa que deixou o País em situação mais frágil na resposta a este quadro.

STAL-Informa

Subscreva aqui a Newsletter e receba regularmente informação do STAL.

Partilhe connosco as suas preocupações