Alargar a luta de todos e com todos

200220 COM4 EGF AlargarLuta site e490f PELO AUMENTO DOS SALÁRIOS, PELA VALORIZAÇÃO DAS CARREIRAS, PELA MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO!

Os trabalhadores da EGF têm dado provas de grande firmeza e coragem na luta pelos seus direitos laborais, pelo seu futuro, pelo futuro do importante serviço público que prestam às populações e de uma empresa que deveria estar ao serviço do interesse nacional (todos nós), ao invés de ser utilizada como meio de exploração e apropriação da riqueza criada pelos trabalhadores.

Comunicado

Uma luta que cresce e avança!

As greves massivas realizadas pelos trabalhadores da Resiestrela e da Resinorte, nos passados dias 26 e 27 de Dezembro, e pelos trabalhadores da Ersuc, nos dias 27 e 28 de Janeiro, foram o mais recente exemplo dessa luta que cresce e avança. Contra as pressões e as chantagens das empresas, a intimidação das forças policiais, como aconteceu na Resinorte, e a imposição de serviços mínimos claramente abusivos e atentatórios do direito à greve decretados pelos Tribunais arbitrais, os trabalhadores lutaram de forma irrepreensível e deram uma extraordinária demonstração de valentia, unidade e confiança no futuro!

A determinação manifestada pelos trabalhadores foi essencial para obrigar a EGF a admitir, na comunicação social, que está disponível para negociar. Mas como o STAL prontamente afirmou, “palavras leva-as o vento!” Ou seja, se a empresa quer negociar tem de passar das palavras aos actos! Tem de respeitar quem trabalha e as organizações sindicais, tem de responder às propostas do STAL, às legítimas e justas reivindicações dos trabalhadores, nomeadamente, à exigência de negociação de um Acordo Colectivo de Trabalho (ACT), instrumento essencial para a melhoria das condições de trabalho nas empresas do grupo.

Mas, como sabemos, só a continuação e ampliação da luta tornará isso possível!

Unidade e luta pelos direitos, não dar tréguas

A dimensão das greves realizadas na Resiestrela, Resinorte e Ersuc, mostrou que há condições para prosseguir a luta. Mas é necessário alargar o combate, ir mais longe, mobilizar e envolver o conjunto dos trabalhadores. O que está em causa diz respeito a todos!

Não podemos dar tréguas no combate pelo aumento dos salários, que podem e devem ser imediatamente valorizados, pela dignificação das carreiras profissionais, pela melhoria das condições de trabalho, pelo direito à contratação colectiva.

A defesa dos direitos dos trabalhadores só pode ser alcançada pela acção dos próprios trabalhadores e das suas organizações sindicais de classe.

As reivindicações também só serão alcançadas com a crescente mobilização, participação e unidade.

É urgente e indispensável juntar forças em cada uma e em todas as empresas e locais de trabalho para organizar, reivindicar e exigir aquilo a que temos direito.

Este é o tempo de TODOS os trabalhadores do grupo EGF avançarem em unidade para a luta!

STAL-Informa

Subscreva aqui a Newsletter e receba regularmente informação do STAL.

Partilhe connosco as suas preocupações