8 de Março - Dia Internacional da Mulher Trabalhadora

8MarcoFinal min 514e0 LUTAMOS PARA CONQUISTAR:

Estabilidade no emprego e o fim da precariedade.
A cada posto de trabalho permanente tem de corresponder um vínculo de trabalho efectivo.

Valorização dos salários e igualdade salarial entre mulheres e homens.
Salário igual para trabalho igual ou de valor igual e aumento salarial de 90 euros mensais.

Organização do tempo de trabalho com direito à conciliação com a vida familiar e pessoal.
Revogação dos regimes de adaptabilidades e de bancos de horas; fim do recurso excessivo e desnecessário ao trabalho por turnos e laboração contínua e 35 horas de trabalho semanal, sem perda de retribuição.

Reforço e qualidade dos serviços públicos.
Educação, saúde, habitação, protecção social, estruturas públicas de apoio (crianças e idosos), mais e melhores transportes públicos e acesso à justiça.


TEMOS DIREITO:
À organização do trabalho em condições socialmente dignificantes, de forma a facultar a realização pessoal e a permitir a conciliação da actividade profissional com a vida familiar (art.º 59º da CRP)

Origem histórica do 8 de Março

Há 110 anos, numa Conferência Internacional, em Copenhaga, foi proposto por Clara Zetkin a instituição de uma comemoração anual das lutas das mulheres trabalhadoras, contra a exploração e a guerra, por direitos sociais e políticos, por melhores salários e horários de trabalho.

Razões de luta que permanecem até aos dias de hoje

IGUALDADE - UMA LUTA DE TODOS OS DIAS

STAL-Informa

Subscreva aqui a Newsletter e receba regularmente informação do STAL.

Partilhe connosco as suas preocupações