STAL conquista subsídio extraordinário na AMBILITAL

200422 Pancartaz 1Maio Subsidio 9834aGARANTIR A SEGURANÇA E A VALORIZAÇÃO DOS TRABALHADORES

O STAL e o Conselho de Administração da AMBILITAL firmaram um acordo que prevê a atribuição do subsídio extraordinário no valor de 300€, a todos os trabalhadores, e garante durante o surto COVID-19, os rendimentos aos trabalhadores sujeitos a medidas de confinamento.

O STAL há muito que exige a valorização salarial e profissional dos trabalhadores da AMBILITAL, através do aumento anual e progressivo dos salários e da atribuição de suplementos remuneratórios, nomeadamente do suplemento de insalubridade, penosidade e risco, reivindicações que a atual situação de saúde pública a que estamos expostos, torna ainda mais evidente e inadiável.

Face à situação da pandemia de COVID-19, em Março, o STAL enviou um ofício ao Conselho de Administração (C.A.), reivindicando um conjunto de medidas excepcionais de Segurança e Saúde no Trabalho (SST) que deviam ser adoptadas pela empresa, das quais destacamos o “Pagamento integral da retribuição a todos os trabalhadores de forma a garantir a necessária tranquilidade social, o foco e a concentração daqueles que se encontram ao serviço”.

Em meados de Abril, o Sindicato recebeu do C.A. da AMBILITAL uma proposta de Regulamento Interno transitório, após análise o STAL emitiu parecer, do qual a administração aceitou apenas algumas das sugestões.

Ao valorizar os trabalhadores, a AMBILITAL reconhece que os trabalhadores da empresa não são de facto descartáveis por terem nas suas mãos uma das mais importantes funções para garantir a saúde pública.
No acordo alcançado, o Sindicato valoriza:

  • a atribuição de 300 euros a todos os trabalhadores, salientando-se que a proposta do C.A. não tinha qualquer valor definido, e que foi a capacidade reivindicativa do STAL que permitiu alcançar o valor de 300 euros;
  • a atribuição transitória da totalidade do salário mensal aos trabalhadores em confinamento, para cuidarem dos filhos menores cujos estabelecimentos de ensino ou creches e/outros apoios sociais aplicáveis, encerrados devido à COVID-19, bem como aqueles que se encontram confinados por outros motivos.

 

Avanços positivos, mas insuficientes
A luta vai continuar

Apesar das matérias acordadas, existem outras reivindicações que constam do caderno reivindicativo e que continuam em cima da mesa. O STAL e os trabalhadores vão continuar a lutar por elas, nomeadamente:

  • Aumento dos salários em 90 euros, em 2020, para todos os trabalhadores;
  • A fixação do salário mínimo, na empresa, nos 850 euros.
  • Redução do período normal de trabalho para as 35 horas semanais.

As verbas necessárias para garantir esta exigência, têm origem na riqueza criada pelos trabalhadores que deve ser melhor distribuída contemplando, significativamente, os trabalhadores.

O STAL já demonstrou e identificou noutros momentos um conjunto vasto de medidas, que envolvem verbas muito consideráveis, que permitem afirmar que a empresa apresenta resultados muito positivos, alcançados pelo profissionalismo e empenho dos trabalhadores, que são apenas distribuídos pelos accionistas, e que podem e devem ser distribuídos pelos trabalhadores.

STAL-Informa

Subscreva aqui a Newsletter e receba regularmente informação do STAL.

Partilhe connosco as suas preocupações