Trabalhadores da Águas de Portugal exigem revisão do ACT

Trabalhadores, dirigentes e activistas sindicais das empresas do Grupo AdP. Concentração junto ao Ministério das Finanças,CONCENTRAÇÃO - MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

O STAL e a Fiequimetal promoveram hoje uma concentração junto ao Ministério das Finanças, em Lisboa, para exigir a revisão do Acordo Colectivo de Trabalho, o aumento dos salários, carreiras dignas e o suplemento extraordinário de risco durante a pandemia, ação que contou com a presença da secretária-geral da CGTP-IN, Isabel Camarinha
 

Ver resolução

VER FOTOS

Os trabalhadores das empresas do grupo Águas de Portugal (AdP) concentrados esta tarde (quarta-feira, 9) junto ao Ministério das Finanças, em Lisboa, exigem também, a aplicação integral do actual ACT – cuja revisão está bloqueada desde Janeiro –, assim como o cumprimento da Lei na aplicação do mesmo.
Os trabalhadores e as estruturas sindicais exigem que se ponha termo ao recurso ao trabalho precário, ilegal e ao “outsourcing” nas empresas, e o fim do garrote na admissão efectiva de novos trabalhadores, porque a segurança e a saúde dos mesmos está em causa, colocando também por isso em causa a prestação do serviço publico.

Saliente-se que o ACT - conquistado após anos de intensa luta e que foi celebrado entre o Grupo AdP, o STAL e a Fiequimetal, em 2018 - interrompeu um ciclo de nove anos de desvalorização salarial, impediu a adaptabilidade e o banco de horas - medidas que sempre combatemos -, e significou uma melhoria nas condições de trabalho e na defesa dos direitos dos trabalhadores das empresas do Grupo.

O ACT registou a sua plena aplicação em 2019, mas verdade é que estamos no final do ano de 2020 e este continua a não ser cumprido pela Administração da AdP, que só recentemente nomeou os seus membros para a Comissão Paritária, prejudicando de forma grave a generalidade os trabalhadores que deveriam ter sido reclassificados e estar a auferir melhores remunerações, o que o não acontece, e é completamente inaceitável.

SEMANA DE ACÇÃO E LUTA

Saliente-se que esta ação insere-se na semana de luta convocada pela CGTP-IN, sob o lema “Proteger os Trabalhadores! Aumentar salários! Garantir direitos!”, que iniciou-se esta segunda-feira (dia 7) e decorre até sexta-feira.

A par desta concentração em Lisboa, nesta quarta-feira realizaram-se ainda ações em diversos locais do País, como o plenário distrital de activistas de Vila Real em Valpaços; a concentração frente à Câmara Municipal de Fronteira; a reunião da Comissão Sindical da Empresa Municipal de Águas e Saneamento, em Beja; o plenário de trabalhadores da Câmara Municipal da Covilhã; contactos com trabalhadores da INOVA em Cantanhede; plenário geral de trabalhadores da AMBILITAL, em Setúbal; Plenário Trabalhadores águas do norte em Mirandela; Reunião com Autoridade para as Condições de Trabalho de Bragança sobre aplicação do Acordo Coletivo de Trabalho das Águas de Portugal nas Águas do Norte

Já para esta quinta-feira (dia 10) estão igualmente previstas as seguintes ações:

- Bragança – 10.00 – Plenário distrital de activistas;
- Beja – 12.30 - Plenário trabalhadores da RESIALENTEJO, EIM - exigindo resposta à proposta de A.E.;
- Évora – 16.00 – Plenário trabalhadores do distrito, JF da Malagueira;
- Fundão – 08.30 – Plenário de trabalhadores da Câmara Municipal;
- Coruche – 08.30 - Plenário e contactos com os trabalhadores da Câmara Municipal;
- Benavente – 09.00 – Plenário e contactos com os trabalhadores da Câmara Municipal;
- Viana do Castelo - 11.00 - Plenário Empresa Resulima