Luta, internacionalismo, unidade

FSM 17 CONGRESSO POSTER thumb17.º CONGRESSO DA FEDERAÇÃO SINDICAL MUNDIAL

A Federação Sindical Mundial realiza o seu 17.º Congresso em Durban, África do Sul, sob o lema «Luta. Internacionalismo. Unidade», de 5 a 8 de Outubro, evento que contará com a participação de milhares de delegados de todos os continentes e de mais de 120 países.

Num momento em que os trabalhadores enfrentam um pouco por todo o mundo uma brutal ofensiva do grande capital, ganham redobrada actualidade o aprofundamento e a ampliação da unidade, da resistência, da luta e da solidariedade dos trabalhadores de todo o mundo contra a exploração e o empobrecimento, pela paz, o progresso e a justiça social.

O Congresso da FSM será um momento importante para definir acções comuns e convergentes do movimento sindical na defesa dos interesses de classe dos trabalhadores tendo em vista, entre outros, a luta: contra o ataque aos direitos laborais e a actividade sindical; pela contratação colectiva, a redução do horário de trabalho, o aumento de salários e o trabalho estável e com direitos; em defesa da segurança social pública e universal e das funções sociais dos Estados; por sistemas de educação e saúde públicos e de qualidade; contra as privatizações e em defesa de sistemas fiscais justos; pela melhoria geral das condições de vida dos trabalhadores e dos povos; na defesa da paz e contra o aprofundamento da militarização das relações internacionais; em defesa da soberania e contra a opressão nacional, a ingerência e a desestabilização de países e povos.

Serão ainda decididas medidas tendo em vista o reforço da intervenção da FSM, da sua direcção e estrutura tendo em vista ampliar a sua implantação, influência e prestígio ao nível nacional, regional e mundial.

O STAL aceitou o convite para participar no Congresso e na sua preparação, tendo estado presente na reunião preparatória realizada em Genebra, onde, conjuntamente com outros sindicatos portugueses, contribuiu para a discussão dos documentos congressuais, tendo em vista o reforço do sindicalismo de classe, participativo e reivindicativo, em defesa dos trabalhadores.

O STAL procurará reforçar os laços de amizade e cooperação com a FSM e as suas organizações regionais para a Europa e para a Administração Pública, no âmbito da luta pelo direito e efectivação da contratação colectiva, por uma distribuição mais justa da riqueza, contra as privatizações e os chamados acordos de livre comércio, como o TTIP e o CETA, que mais não são do que uma forma de impor o domínio do grande capital mundial sobre os estados, os povos e os trabalhadores.

STAL-Informa

Subscreva aqui a Newsletter e receba regularmente informação do STAL.

Partilhe connosco as suas preocupações