Termina com grande êxito o 17º Congresso da Federação Sindical Mundial

14484714 1759443744308279 7114029382594182240 n d53a4O Congresso da Federação Sindical Mundial, realizado em Durban, África do Sul, de 5 a 8 de Outubro, sob o lema “Luta. Internacionalismo. Unidade”, constituiu um grande êxito, tanto pela massiva participação de milhares de delegados e convidados de todos os continentes, como pelo conteúdo dos debates e documentos aprovados, designadamente o Relatório de Actividades e a Plataforma de Acção para os próximos 5 anos.

O Congresso elegeu o Presidente, o Secretário-geral e o Conselho Presidencial da FSM e, de entre diversas actividades sindicais e sociais, destaca-se uma manifestação, pelo centro de Durban, dos delegados ao Congresso e de sindicalistas da central sindical sul africana, a COSATU.

O Congresso confirmou também o crescimento da FSM que aumentou, desde o anterior congresso, o número de sindicatos filiados, contando agora com mais 15 milhões de trabalhadores nas suas fileiras e anunciou a criação de mais estruturas sectoriais e continentais.
 
O reforço da intervenção dos sindicatos da FSM, a luta e organização dos trabalhadores em torno dos seus objectivos de classe e a defesa da soberania dos povos e da paz foram, entre outros, temas centrais em discussão, num congresso que afirmou as características unitárias, de classe, de massas e anti-imperialista da Federação Sindical Mundial.

O STAL participou neste congresso com uma delegação constituída por Vanda Figueiredo (dirigente responsável pelo Departamento de Organização) e Francisco Braz (Presidente da Mesa da Assembleia Geral).

Paralelamente ao Congresso, os dirigentes do STAL, de entre outros contactos estabelecidos, tiveram a oportunidade de realizar uma reunião com a UIS - Internacional da Administração Pública, analisando a crescente ofensiva do grande capital imperialista e monopolista, visando a apropriação de serviços públicos essenciais para as populações, de que são exemplo os processos em curso de privatização das águas e resíduos.

No Congresso participaram ainda vários sindicatos Portugueses, filiados e não filiados da CGTP-IN.