Contra a privatização da Amarsul/EGF

TRABALHADORES DA AMARSUL DECIDEM INTENSIFICAR A LUTA

IMG 20150211 121717 web min d35e8 O plenário geral de trabalhadores da Amarsul reunido no passado dia 11 no ecoparque de Palmela (sede da empresa) aprovou, por unanimidade, uma resolução onde decidem intensificar a luta contra a privatização da EGF.
 

No final do plenário entregaram ao Conselho de Administração da empresa a resolução aprovada e um abaixo-assinado pela reposição das normas de marcação das férias.
 
Na resolução aprovada no plenário, os trabalhadores exigem que:
 
- As trabalhadoras deslocadas da triagem do ecoparque de Setúbal, sejam imediatamente integradas em postos de trabalho compatíveis com as suas limitações físicas associadas às doenças profissionais adquiridas enquanto trabalhadoras da Amarsul;
 
- Seja verificada e convenientemente rectificada a situação da velocidade, carga e movimentação a que a linha de triagem de filme da TM comporta para os trabalhadores, para que se enquadre numa perspectiva de impossibilidade de criação de doenças profissionais aos futuros trabalhadores da dita linha;
 
- Todos os trabalhadores que ocupem postos de trabalho de natureza definitiva, sejam admitidos pela empresa nos seus quadros de pessoal;
 
- O acordo de empresa é para cumprir incondicionalmente em todas as matérias que trata, incluindo também, a normas de marcação das férias dos trabalhadores.
 
- A negociação imediata de medidas para a reposição de direitos retirados e a reposição do poder de compra dos trabalhadores da Amarsul;
 
Os trabalhadores da Amarsul reafirmam que «lutarão sempre pela defesa dos seus direitos, e estão dispostos a lutar de todas as formas contra o constante ataque aos seus direitos, cortes remuneratórios e contra a privatização da EGF/Amarsul.»