STAL saúda e apoia a marcha do MURPI

APOSENTADOS DAS AUTARQUIAS PRESENTES NA MANIFESTAÇÃO DE SÁBADO

selo Marcha MURPIO STAL saúda a Marcha de Indignação e Protesto «Por Abril, contra os cortes nas pensões» convocada pelo MURPI para amanhã, sábado, 12, e apela aos aposentados das autarquias a participarem neste protesto de massas.

Os aposentados da Administração Local vão estar presentes na jornada nacional de luta organizada pela Confederação Nacional de Reformados, Pensionistas e Idosos (MURPI) em várias cidades do País.

As acções marcadas para Lisboa, Porto, Coimbra, Guimarães, Covilhã, Faro e Funchal têm como objectivo contestar os cortes nas pensões e o agravamento dos impostos, que tão duramente estão a atingir as condições de vida de centenas de milhares de idosos.

Como salienta o apelo da Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, na qual o STAL se integra, «os aposentados têm sido o principal alvo das políticas de roubo do Governo PSD/CDS-PP e da troika».

A somar às medidas que têm sido tomadas desde 2011, o Governo aplicou novos cortes nas pensões, aumentou os descontos para a ADSE, diminuiu brutalmente as pensões de sobrevivência, alargou a incidência da chamada «Contribuição Extraordinária de Solidariedade», que é mais um novo imposto, levando aos limites da sobrevivência milhões de portugueses, em particular os idosos.

Estas medidas desumanas são uma das principais causas do aumento exponencial da pobreza em Portugal, que, segundo os números oficiais, já afecta 2,6 milhões de portugueses, dos quais 10,9 por cento vivem em situação de privação material.

O STAL solidariza-se e apoia activamente as reivindicações dos aposentados contra os cortes nos rendimentos e pela devolução dos montantes roubados desde 2011.

Considerando que a defesa dos direitos dos aposentados e dos trabalhadores no activo, bem como da maioria esmagadora da população, exige uma mudança real de políticas, o Sindicato apela à intensificação da luta pela demissão do Governo e convocação de eleições antecipadas.

Neste sentido, o STAL sublinha a importância de infligir uma pesada derrota aos partidos que apoiam o Governo nas próximas eleições para o Parlamento Europeu, em 25 de Maio.

Os trabalhadores e aposentados devem utilizar conscientemente o voto para reforçar as forças políticas que defendem os seus interesses, e assim abrir caminho à formação de um governo que ponha fim à «austeridade» e cumpra efectivamente os direitos e garantias consagrados na Constituição da República Portuguesa.

Artigos relacionados