Forte adesão à greve dos trabalhadores da Águas do Tejo Atlântico

greve AdTA 803c3EXIGIR A UNIFORMIZAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO

Com uma adesão de 75 por cento, e diversas ETAR encerradas, os trabalhadores da Águas do Tejo Atlântico, empresa responsável pela gestão e exploração do sistema multimunicipal de saneamento de águas residuais da Grande Lisboa e Oeste, cumprem hoje, 14, uma greve 24 horas, para exigir a uniformização das condições de trabalho.

Ver fotos

A Águas do Tejo Atlântico resulta da fusão de três empresas (Sanest, Simtejo e Águas do Oeste), que tinham acordos colectivos de trabalho com direitos muito diferentes, a actual administração da empresa recusa a uniformização das condições de trabalho, criando situações de total injustiça.

Os trabalhadores estão dispostos a continuar a lutar, até que seja garantida a aplicação das mesmas condições de trabalho a todos os trabalhadores.

Os trabalhadores em luta reivindicam ainda a uniformização do subsídio de transporte para €99,74, a uniformização do subsídio de refeição para €7.07, a uniformização do subsídio de prevenção para €2,23/hora e a atribuição de subsídio de turno de 8,3% para os trabalhadores que praticam modalidade de horário.

No plenário, realizado hoje, na ETAR de Alcântara, os trabalhadores aprovaram a realização de novo plenário, no dia 20 de Agosto, para apreciar a proposta da administração e discutir possíveis novas formas de luta.