Em defesa das reivindicações constantes da PRC/81, subscrita pela Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, os trabalhadores cumprem cinco dias de greve em 2, 3, 14, 15 e 16 de Abril, sendo a adesão mais elevada a dos trabalhadores da Administração Local e dos Portuários.

A 31 de Janeiro e 1 de Fevereiro, realiza-se em Faro um Conselho Nacional restrito, onde se discute e aprova a tabela salarial elaborada no âmbito da Comissão Negociadora Sindical da Frente Comum de Sindicatos, a apresentar como reivindicação ao Governo, para 1981.

Continuam a discutir-se com o Ministério da Administração Interna e Secretaria de Estado da Administração Local, os vários problemas pendentes, muitos dos quais constantes da PRC/80.

Em 6 de Abril, o Governo apresenta aos Sindicatos, através da Direcção Geral da Função Pública, uma proposta de tabela salarial para o ano de 1981, para vigorar a partir de 1 de Maio, cujos valores são ainda inferiores a uma outra tabela que havia proposto em 20 de Março.

A Frente Comum de Sindicatos acusa o Ministro da Reforma Administrativa, Eusébio Marques de Carvalho, de não respeitar o direito à negociação e o poder de compra dos trabalhadores e ainda de, numa intervenção de 40 minutos na RTP, ter insultado os trabalhadores da Administração Pública.

Das discussões travadas com o Governo, conseguiu-se o compromisso de que as revisões salariais seriam, de futuro, anuais e sempre reportadas a Janeiro.

Em editorial do Boletim do STAL (n.º 12), a Direcção Nacional considera que «para os trabalhadores portugueses da Função Pública, 1981 foi o pior ano depois de 25 de Abril».

A 12 de Novembro, são eleitos os novos corpos gerentes do STAL, a nível nacional, em lista de unidade.

Realiza-se em 28 e 29 de Novembro, na Nazaré, o 2º Conselho Nacional Plenário, onde se discutiram e votaram, entre outros, os seguintes temas:

Alteração do Regulamento do Conselho Nacional
Alteração do Regulamento Eleitoral
Estratégia sindical face às centrais sindicais, ao conceito de parceiros sociais, aos sindicatos do sector e à Frente Comum de Sindicatos, tendo sido aprovado:
a) «Reafirmar os princípios do sindicalismo de classe, na mais ampla democraticidade interna, com total independência relativamente ao Estado e seus órgãos autárquicos, partidos políticos e quaisquer outros agrupamentos políticos e confessionais».

b) «Reafirmar o empenhamento do STAL na unidade de todos os trabalhadores da Administração Local, na convicção de que a especificidade da Administração Local e a sua situação actual no movimento sindical português impõem a independência do STAL em ordem às correntes sindicais existentes».

c) «Reafirmar a necessidade do empenhamento do STAL na luta, em unidade com os demais trabalhadores da Administração Central, Regional e Local, pela resolução dos problemas que a todos dizem respeito».

d) «Reafirmar a exigência de se caminhar pela unidade de todos os trabalhadores da Administração Local, através da existência de uma organização sindical única, que os defenda e organize».

e) «O STAL participará na Frente Comum de Sindicatos, devendo a Direcção Nacional negociar com os demais sindicatos que a compõem, um protocolo de participação que garanta um justa representatividade, conforme à real importância do nosso sindicato no panorama sindical do sector».

Pin It
Greve ao trabalho suplementar mantém-se por...
Sex., Fev. 16, 2024
Um novo rumo para o País está nas tuas mãos
Dom., Fev. 11, 2024
Trabalhadores da Administração Local exigem...
Qui., Fev. 08, 2024
STAL defende a efectivação do direito à...
Sex., Fev. 02, 2024
STAL denuncia salários em atraso na...
Sex., Jan. 26, 2024
Cristina Torres eleita presidente do STAL,...
Qua., Jan. 17, 2024
“Cordão reivindicativo” em defesa os...
Ter., Jan. 16, 2024
ADSE | Trabalhadores das autarquias não...
Seg., Jan. 15, 2024
É urgente valorizar e dignificar os...
Seg., Jan. 15, 2024
Celebrados acordos em Beja, Mação, Portimão...
Qui., Jan. 11, 2024
Progressões - Perguntas e respostas
Seg., Jan. 08, 2024
É urgente e necessário aumentar salários e...
Qui., Jan. 04, 2024
Direcção Nacional do STAL eleita com 98,5%...
Sex., Dez. 22, 2023
Greves e concentrações em Almada e Oeiras
Qua., Dez. 20, 2023
A luta continua por mais direitos, melhores...
Sex., Dez. 15, 2023
STAL reafirma confiança e determinação na...
Ter., Dez. 12, 2023