Em 16 de Maio, o STAL realiza uma grande manifestação contra o pacote Almeida Santos, da Praça dos Restauradores à Praça do Comércio, em Lisboa, no decorrer da qual foram detidos, identificados e mandados a julgamento todos os membros da Comissão Executiva da Direcção Nacional.

Dando razão à luta desenvolvida pelo STAL em 1984, a Assembleia da República produz alterações em 14 dos 17 artigos do Decreto-Lei n.º 116/84, o qual fazia parte do pacote anti-autárquico de Almeida Santos.

Embora ficando aquém do que seria necessário, dado que a maioria parlamentar constituída pelo PS e PSD não abdicou da filosofia centralista do decreto, as alterações consubstanciadas na Lei 44/85, tornaram o diploma menos gravoso para os trabalhadores e para o poder local, donde se conclui que mais uma vez valeu a pena lutar.

No âmbito da Frente Comum de Sindicatos continuou a luta, permanente, pela melhoria das condições de vida dos trabalhadores. Realizaram-se concentrações, vigílias e manifestações por vários pontos do país. Em 4 de Junho, o STAL realiza uma greve nacional contra a legislação aplicada às autarquias locais sem a indispensável negociação com os representantes dos trabalhadores.

De 10 a 12 de Setembro, o STAL participa no 1º Simpósio Internacional sobre os problemas da mulher trabalhadora das Autarquias Locais, realizado em França e organizado pela Federação CGT dos Serviços Públicos de França e pela União Internacional dos Sindicatos da Administração Pública.

Em 23 de Julho é publicado o Decreto-Lei n.º 288/85, cujo teor é uma verdadeira ameaça de despedimento para centenas de trabalhadores das Assembleias Distritais. O STAL exige ao Governo a imediata suspensão deste decreto.

Com a participação do STAL, realizase em Inglaterra, de 19 a 21 de Junho, a Conferência Permanente do Conselho da Europa.

Como consequência directa das lutas dos trabalhadores portugueses, assistese à ruptura da coligação governamental (PS/PSD), a Assembleia da República é dissolvida no dia 12 de Julho e eleições legislativas são marcadas para 6 de Outubro.

Numa cerimónia simples mas de grande significado, o STAL comemora na sua Sede Nacional, com uma sessão solene, o seu 10º aniversário.

Nas eleições legislativas realizadas em Outubro, o PSD obtém a maioria absoluta e forma Governo com Cavaco Silva como Primeiro Ministro.

Realizaram-se mais dois Conselhos Nacionais Plenários. Em Tróia, na região de Setúbal, nos dias 30 e 31 de Março. Em Braga, nos dias 23 e 24 de Novembro.

Pin It
Greve ao trabalho suplementar mantém-se por...
Sex., Fev. 16, 2024
Um novo rumo para o País está nas tuas mãos
Dom., Fev. 11, 2024
Trabalhadores da Administração Local exigem...
Qui., Fev. 08, 2024
STAL defende a efectivação do direito à...
Sex., Fev. 02, 2024
STAL denuncia salários em atraso na...
Sex., Jan. 26, 2024
Cristina Torres eleita presidente do STAL,...
Qua., Jan. 17, 2024
“Cordão reivindicativo” em defesa os...
Ter., Jan. 16, 2024
ADSE | Trabalhadores das autarquias não...
Seg., Jan. 15, 2024
É urgente valorizar e dignificar os...
Seg., Jan. 15, 2024
Celebrados acordos em Beja, Mação, Portimão...
Qui., Jan. 11, 2024
Progressões - Perguntas e respostas
Seg., Jan. 08, 2024
É urgente e necessário aumentar salários e...
Qui., Jan. 04, 2024
Direcção Nacional do STAL eleita com 98,5%...
Sex., Dez. 22, 2023
Greves e concentrações em Almada e Oeiras
Qua., Dez. 20, 2023
A luta continua por mais direitos, melhores...
Sex., Dez. 15, 2023
STAL reafirma confiança e determinação na...
Ter., Dez. 12, 2023