Rectificação das tabelas do IRS não repõe poder de compra dos trabalhadores

IMG 6171 75b8cÉ URGENTE VALORIZAR OS SALÁRIOS

No seguimento da denuncia da Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública face às injustiças criadas com as novas tabelas de retenção do IRS – que levou a que alguns trabalhadores, com o aumento de 0,9%, passassem a receber menos no final do mês face a 2021 –, o Governo decidiu ajustar os escalões do imposto.

NOVA TABELAS:   Continente  Região autónoma do Açores

Ler mais...

FC marca plenário de sindicatos e entrega da PRC22 ao “novo” governo PS a 9 de Março

 MG 2150 FComum 31b77O coordenador da Frente Comum (FC) anunciou, esta quinta-feira (dia 10), a realização de um plenário de sindicatos da Administração Pública no dia 9 de Março, para revalidar a Proposta Reivindicativa Comum para 2022 (PRC22), já apresentada ao anterior governo PS e que será entregue ao “novo” executivo no mesmo dia, numa acção pública que vai juntar delegados e dirigentes sindicais.

Ler mais...

É urgente valorizar os salários e as carreiras de TODOS os trabalhadores da Administração Pública

PerdaSalarial de34a

O STAL considera inaceitável a situação de congelamento e de estagnação salarial que permanece na Administração Pública e, em particular, na Administração Local, cujos trabalhadores, desde o último aumento salarial (em 2009), viram o seu salário “encolher” devido aos aumentos anuais dos preços, aos descontos para a CGA, ADSE e IRS, bem como pelo corte nos salários mais altos da TRU.

Ler mais...

STAL assina ACEP com a CM Barcelos

FB IMG 1642531447596 2a130GARANTIDA REPOSIÇÃO DE DIREITOS

O STAL assinou, no dia 17 de Janeiro, com a Câmara Municipal de Barcelos (CMB) um Acordo Colectivo de Empregador Público (ACEP), que vai regular, por um período de dois anos (renováveis), as relações laborais entre o Município e a totalidade dos trabalhadores filiados, ou que se venham a filiar, no Sindicato, que assinala mais esta conquista no que concerne aos direitos dos trabalhadores. 

Ler mais...

Trabalhadores, dirigentes e activistas sindicais da AdP rejeitam intromissão do Governo no processo negocial em curso

AdP 4fffcMANIFESTAÇÃO JUNTO AO MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

A concentração realizada nesta quinta-feira (dia 20), em Lisboa, reuniu dezenas de trabalhadores, dirigentes e activistas sindicais do Grupo Águas de Portugal (AdP) – aos quais se juntaram a secretária-geral da CGTP-IN (Isabel Camarinha) e trabalhadores da Imprensa Nacional Casa da Moeda –, e foi convocada pelo STAL e pela FIEQUIMETAL para protestar contra a intromissão do Governo no processo negocial em curso na empresa e para reivindicar aumentos salariais.

Ver fotos

Ler mais...

O teu voto é determinante!

VotoDeterminante ce7ad USA-O PARA VALORIZAR O TEU TRABALHO E MELHORAR OS SERVIÇOS PÚBLICOS!

O governo do Partido Socialista apresentou e insistiu numa proposta de Orçamento do Estado que, entre outras opções negativas, deixava os trabalhadores da Administração Pública sem valorização salarial pelo 13º ano consecutivo, com carreiras estagnadas ou inexistentes, mantinha o rumo da precariedade na Administração Pública e insistia na degradação dos Serviços Públicos. Chumbada a proposta, por opção do Presidente da República, seremos chamados a eleger uma nova Assembleia da República, o que levará à formação de um novo governo.

Ver comunicado

Ler mais...

Câmara Municipal da Moita condiciona Plenário de Trabalhadores

Câmara Municipal da Moita condiciona Plenário de Trabalhadores f2405NOVO EXECUTIVO DA C. M. MOITA INÁBIL NO CONVÍVIO COM A DEMOCRACIA

Para além do executivo Câmara ter pedido um plano de contingência para se realizar um plenário de trabalhadores ao ar livre, algo nunca visto nem para tal exigido, o executivo P.S. não satisfeito com o ilegal pedido de contingência, eis que recusa transporte aos trabalhadores para os plenários, impossibilitando desta forma a sua participação na reunião de trabalhadores.

Para a União dos Sindicatos de Setúbal/CGTP-IN, lamentamos tais práticas que em nada dignificam a democracia, muito menos o poder local democrático, pois o que se está a passar com os trabalhadores do município da Moita é uma clara tentativa de os calar e sonegar o direito constitucional a reunirem no local de trabalho.

Ler mais...

STAL e FIEQUIMETAL rejeitam chantagem do governo e exigem actualização séria de salários e do ACT

Cartaz ADP Janeiro 2022 min e4960 QUINTA-FEIRA, DIA 20, CONCENTRAÇÃO JUNTO AO MINISTÉRIO DAS FINANÇAS, ÀS 16H30

Reunimos, nesta segunda-feira (dia 17), com a administração da Águas de Portugal (AdP), que nos apresentou uma proposta de actualização da tabela salarial em linha com a da Administração Pública, ou seja, de 0,9%, valor manifestamente insuficiente, pois acentua a perda de poder de compra dos trabalhadores, nem valoriza o seu desempenho, dedicação e profissionalismo, que têm sido essenciais neste período de crise sanitária.

Ver comunicado

Ler mais...

Palavras bonitas não pagam as contas

COM AdP eec05 A LUTA DOS TRABALHADORES DO GRUPO ÁGUAS DE PORTUGAL

 Sem a luta dos trabalhadores, os seus problemas não se resolvem! As “palavras bonitas” e os “elogios baratos” não fazem crescer os salários, nem pagam as contas do dia-a-dia de quem trabalha! E o discurso da administração, desarticulado da realidade, é certamente inspirado na “Alice no País das Maravilhas”, já que, na prática, o que os trabalhadores têm é “uma mão cheia de nada”!

Ver comunicado

Ler mais...

Adesão de 90% na greve dos trabalhadores da recolha de resíduos urbanos em Santarém

WhatsApp Image 2021 24a91TRABALHADORES DO DEPARTAMENTO DE AMBIENTE, SUSTENTABILIDADE E ESPAÇO PÚBLICO

Os trabalhadores do Departamento de Ambiente, Sustentabilidade e Espaço Público da Divisão de Ambiente e Sustentabilidade, na Câmara Municipal de Santarém, cumprem dois dias de greve a 27 de Dezembro e 3 de Janeiro.

Os trabalhadores em greve exigem o pagamento dos retroactivos (Janeiro e Fevereiro) do Suplemento de Penosidade e Insalubridade.

Ler mais...

Votos dos trabalhadores das autarquias para 2022

Votos a335bSTAL ASSINALA ÁRVORES POR TODO O PAÍS

O STAL iniciou, na primeira quinzena de Dezembro, uma acção nacional com os «Votos dos trabalhadores para 2022», com a decoração de árvores nas principais praças do País.

Inserida na quadra festiva que atravessamos a iniciativa visa dar expressão pública à exigência de respostas aos problemas dos trabalhadores da Administração Local e Regional, destacando-se dez principais reivindicações: Aumento de 90€ para todos; salário mínimo nacional de 850€; Subsídio de refeição de 7,50€; Aumento das pensões de aposentação e de reforma; Descongelamento da progressões e promoções; Suplemento de Insalubridade Penosidade e Risco; Revogação do SIADAP; ADSE pública e solidária; 35 horas para todos os trabalhadores; 25 dias de férias majorações.

O próximo ano será certamente de luta pela melhoria das condições de vida e de trabalho e pela exigência de soluções para os problemas, luta que os trabalhadores também irão travar nas urnas já no próximo dia 30 de Janeiro.

Ver fotos

Festas Felizes e um Bom Ano 2022

DIGNIFICAR O TRABALHO E OS TRABALHADORES

No difícil contexto sanitário vigente nos últimos dois anos, devido à pandemia da Covid-19, ficou evidente a importância dos trabalhadores dos sectores essenciais da Administração Pública – com destaque para os da Administração Local e Regional – para garantir serviços públicos essenciais às populações, nomeadamente o Serviço Nacional de Saúde, bem como as áreas das águas, resíduos e higiene urbana, protecção e socorro da população e transportes públicos, reafirmando-se assim estes como elementos fundamentais na resposta concreta às necessidades básicas da comunidade e do País.

Daí que os trabalhadores da Administração Local e Regional, unidos em torno do STAL, reafirmam para 2022 a sua justa e urgente valorização através do aumento real dos salários, nomeadamente de 90 euros para todos e de um salário mínimo de 850 euros.

Ler mais...

Frente Comum entrega «Votos dos Trabalhadores» ao Governo

Os trabalhadores da Função Pública levaram reivindicações em forma de presentes para a árvore de Natal no Rossio, em Lisboa, numa acção promovida pela Frente Comum para exigir o aumento dos salários, o reforço de trabalhadores e melhorias nos serviços públicos.

O STAL marcou presença na iniciativa, que contou com a presenta de dezenas de dirigentes sindicais, que entoaram cânticos “natalícios” alusivos às principais reivindicações dos trabalhadores da Administração Pública, designadamente, a dignificação das funções sociais do Estado, o aumento do subsídio de alimentação, a reposição dos 25 dias de férias e a redução das contribuições para a ADSE.

Ver fotos