STAL repudia manobra de intimidação da CM Ponte de Sôr

pontesor 81029TRABALHADORES IMPEDIDOS DE ENTRAR NO PARQUE DE MÁQUINAS APÓS PLENÁRIO

Os trabalhadores do Município de Ponte de Sôr, reunidos em plenário no passado dia 28, aprovaram uma Carta Reivindicativa, que foi entregue no edifício da Câmara Municipal, ao cuidado do presidente, e na qual exigem a assinatura do ACEP, que possibilita a recuperação do direito a 25 dias de férias; o pagamento dos retroactivos do Suplemento de Penosidade e Insalubridade (SPI) desde Janeiro de 2021; e a melhoria suas condições de trabalho.

Mas a surpresa estava reservada para o fim do plenário (que terminou nos Paços do Concelho), quando os trabalhadores regressaram ao Parque de Máquinas, no qual foram “barrados” à entrada, para surpresa geral, tendo então sido informados de que teriam de aguardar por ordens de serviço, já que, por indicação superior, teriam de aguardar, sem funções, à porta da referida instalação.

De imediato, o STAL denunciou a inadmissível situação junto da GNR, que se deslocou ao local e irá elaborar um relatório da ocorrência, repudiando o nosso sindicato esta verdadeira manobra de intimidação dos trabalhadores que participaram nesta legítima e legal acção de luta, numa atitude inaceitável e prepotente do sr. presidente da CM Ponte de Sôr.

O STAL expressa, igualmente, o seu descontentamento face às decisões do actual executivo camarário, que tem impedido os trabalhadores do Município de recuperarem o direito a 25 dias de férias e receberem os retroactivos do SPI a Janeiro de 2021.

Não é esta, porém, a opção política do executivo da CM Ponte Sôr, que continua, também, a não disponibilizar aos trabalhadores do sector operacional condições de trabalho dignas.