Câmara Municipal despede 15 trabalhadores da empresa municipal Nazaré Qualifica

nq thumb cf1fd Na sequência de acções judiciais interpostas com o apoio do STAL, o Tribunal de Leiria determinou que os contratos com termo resolutivo, celebrados entre os referidos trabalhadores e a empresa municipal Nazaré Qualifica, constituem na realidade contratos de trabalho sem termo, «por manifesta insuficiência do motivo justificativo do termo nele aposto».

Nesta base, os despedimentos foram considerados ilegais e a empresa foi condenada a pagar os salários desde a data da não renovação dos contratos, bem como a reintegrar os 15 trabalhadores com as categorias e antiguidade que antes detinham.

Ler mais...

Trabalhadores da autarquia e empresas municipais de Braga exigem 35 horas para todos

160705 PlenarioBraga web 558caReunidos hoje, 5 de Julho, em plenário, os trabalhadores da autarquia e empresas municipais de Braga, manifestaram a sua disposição de continuar a lutar para que a Câmara de Braga aplique as 35 horas de trabalho semanal a todos os trabalhadores, independentemente do tipo de vínculo contratual e do local onde exercem funções.

Ver Resolução aprovada

35 Horas entram hoje em vigor

35horas EmVigor2 5a857 VITÓRIA DA RESISTÊNCIA E LUTA DOS TRABALHADORES

O STAL saúda todos os trabalhadores das autarquias, pela entrada em vigor da lei que repõe o horário das 35 horas em toda a Administração Pública, resultado da resistência e luta determinada ao longo dos últimos 3 anos (mais de 1200 dias ininterruptos de luta)

Ler mais...

Desempregados para todo o serviço

MG 0508 precariedade 67e69CÂMARA DE MATOSINHOS EXPLORA MÃO-DE-OBRA ESCRAVA

A Câmara de Matosinhos pretende contratar 90 «colaboradores» para as escolas do concelho, ao abrigo dos chamados contratos de emprego-inserção, com funções que a própria autarquia afirma serem «fundamentais na acção diária dos estabelecimentos de educação ensino», reconhecendo assim que ocuparão postos de trabalho permanentes em desrespeito pelo Parecer do Provedor de Justiça.

Ler mais...

Defender direitos, negociar o AE


Concentração PalmelaDesporto PinhalNovo 20160627 10d20GREVE NA PALMELA DESPORTO

Os trabalhadores da empresa municipal Palmela Desporto, reunidos, dia 27, em plenário/concentração, decidiram marcar uma semana de greve, em protesto contra a retirada de direitos e exigindo a negociação do Acordo de Empresa.

No final de um desfile que terminou junto às piscinas municipais do Pinhal Novo, os trabalhadores voltaram a repudiar o chamado «documento estratégico», que a administração tenta impor sem negociação prévia com os representantes sindicais.

Ler mais...

Subcategorias