Greve da Valnor com adesão total nos resíduos

PELO AUMENTO DOS SALÁRIOS E MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO

Os trabalhadores da Valnor estão em greve, exigindo o aumento dos salários e a melhoria das condições de trabalho.

A greve de 24 horas, que teve início às zero horas de hoje, 31, tem adesão total na recolha dos resíduos sólidos, e afecta 25 concelhos dos distritos de Castelo Branco, Santarém e Portalegre.

Ao início da tarde os trabalhadores da Estação de Triagem aderiram a 100% e da Central de Valorização Orgânica a 30%.

Também os trabalhadores da Resiestrela estão hoje em greve, com uma paralisação acima de 30%.

Os trabalhadores exigem o aumento dos salários, considerando inadmissível que administração da Mota-Engil pretenda manter o congelamento salarial, depois de ter distribuído aos accionistas dividendos no valor de cinco milhões de euros.

As sua principais reivindicações são:

• Aumento dos salários e dos subsídios de refeição, de transporte;
• Atribuição do subsídio de turno;
• Seguro de saúde e de vida para todos os trabalhadores em condições iguais;
• Respeito pela categoria profissional e pelos conteúdos funcionais dos trabalhadores, contra a polivalência e a desvalorização funcional;
• Garantia de condições de saúde e segurança a todos os trabalhadores.

Com esta greve os trabalhadores pretendem ainda:

• Condenar a distribuição de dividendos imposta pelo accionista privado Mota-Engil;
• Reafirmar a exigência da reversão da privatização, em defesa dos serviços públicos de tratamento e valorização dos resíduos.