STAL exige aumento dos salários e melhoria das condições de trabalho

 MG 1647 d9737PROSSEGUIR E INTENSIFICAR A LUTA POR UMA VIDA MELHOR

A Direcção Nacional do STAL, reunida esta quarta-feira (9 de Junho) na Casa do Alentejo, em Lisboa, reitera a determinação em reforçar e intensificar a luta dos trabalhadores da Administração Local perante um governo
que insiste em desvalorizar os trabalhadores e em não resolver os seus principais problemas.

A Resolução, aprovada por unanimidade, reafirma que a intervenção sindical na defesa dos direitos e interesses dos trabalhadores torna-se ainda mais necessária neste quadro de grave crise económica e social que se acentua a cada dia, agudizada pela situação pandémica que assola o Mundo e o País.

Ver resolução pela Paz

Ver resolução - reforçar e intensificar a luta

Ver saudação - Greve dos trabalhadores do grupo AdP

A DN do STAL realça que a jornada de luta dos trabalhadores da Administração Pública, Central e Local, realizada no dia 20 de Maio – com greves e uma concentração nacional junto ao Palácio de Ajuda, onde decorreu o Conselho de Ministros –, constituiu um sinal muito forte que os trabalhadores deram de indignação e de não resignação perante um Governo que insiste em desvalorizar os trabalhadores e em não resolver os seus principais problemas:

  • aumento dos salários, valorização das carreiras, revogação do SIADAP e correcção da Tabela Remuneratória Única.
  • Face à actual situação dos trabalhadores, a DN do Sindicato decidiu prosseguir e intensificar a exigência e a luta por, entre outras reivindicações:
  • Aumento geral dos salários, em 90€ para todos os trabalhadores e do Salário Mínimo Nacional para 850€ no curto prazo;
  • Aplicação imediata e abrangente do Suplemento Penosidade e Insalubridade em todas as autarquias, mantendo a defesa de um Suplemento de Insalubridade, Penosidade e Risco, mais justo e abrangente;
  • Revogação imediata do SIADAP e a sua substituição por um sistema de avaliação de desempenho justo, formativo, transparente, equitativo e sem quotas;
  • Revisão e a dignificação das carreiras e a correcção da Tabela Remuneratória Única;
  • Respeito pelo direito e cumprimento da Negociação e Contratação Colectiva;.
  • Reforço dos serviços públicos à população, das funções sociais do Estado e do Poder Local Democrático.

A DN do STAL aprovou também, por unanimidade, uma resolução em que “afirma a sua solidariedade com os povos que são vítimas de agressão e repressão, bem como com todos os que lutam pelo direito à autodeterminação e pela Paz”; e saúda a greve dos trabalhadores do grupo Águas de Portugal marcada para esta sexta-feira (11 de Junho), uma luta que o Sindicato defende como justa, necessária e que será, certamente, um passo em frente na defesa da melhoria das condições de trabalho e de vida e da prestação de um serviço público de qualidade.