Frente Comum exige negociação do regulamento eleitoral do Conselho de Supervisão da ADSE

295436686 578501387138963 6062307186867241570 n 74b47GOVERNO TENTA EXCLUIR SINDICATOS E DIRIGENTES SINDICAIS

Uma delegação da Frente Comum esteve, esta manhã, na Presidência do Conselho de Ministros para exigir o agendamento de uma reunião para discussão do Projecto de Portaria que alterará o Regulamento Eleitoral (RE) do Conselho Geral e de Supervisão da ADSE.

O Governo colocou o RE em consulta pública sem dar conhecimento do mesmo às estruturas sindicais, tendo igualmente rejeitado dois pedidos urgentes de reunião da Frente Comum que, além de repudiar esta actuação do governo PS, considera que o documento “viola grosseiramente o direito dos beneficiários” e que procura excluir a participação dos sindicatos na fiscalização da ADSE, afastando dirigentes de estruturas sindicais da possibilidade de candidatarem-se às eleições que terão lugar num futuro próximo.

A Frente Comum reitera que a ADSE é um direito dos trabalhadores da Administração Pública, e por eles financiada, pelo que considera “totalmente inaceitável qualquer tentativa de afastamento da sua participação”, reafirmando que vai continuar a luta em defesa de um processo negocial sobre esta matéria e da “óbvia possibilidade” de cada lista apresentar os seus candidatos em Liberdade e Democracia, não retirando direitos em função da actividade sindical dos trabalhadores.