Por uma ADSE pública, solidária, com mais direitos

ELEIÇÕES PARA REPRESENTANTES DOS BENEFICIÁRIOS PARA O CGS

A constituição da LISTA B às eleições para quatro representantes dos beneficiários no Conselho Geral e de Supervisão da ADSE foi apresentada esta segunda-feira (dia 17) numa conferência de imprensa em Lisboa, que contou com a presença de alguns dos candidatos efectivos e do mandatário Sebastião Santana, coordenador da Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública, estrutura que, tal como o STAL, apoia esta lista.

Este importante acto eleitoral para o CGS está marcado para os dias 28, 29 e 30 de Novembro, e a LISTA B concorre com o lema “ADSE PÚBLICA, SOLIDÁRIA, COM MAIS DIREITOS!”, defendendo a sua manutenção como sistema público complementar de saúde na Administração Pública para os seus trabalhadores e aposentados, independentemente do tipo de vínculo; assim como a redução de 14 para 12 das contribuições mensais dos trabalhadores e aposentados e a reposição do valor de 1,5%; recusando ainda o caminho da mutualização, que colocará em causa a natureza pública da ADSE.

A Assistência na Doença aos Servidores do Estado é um subsistema de saúde dos trabalhadores e aposentados da Administração Pública, que conta com mais de 1,2 milhões de beneficiários (entre titulares e seus familiares) e cujo financiamento depende, quase exclusivamente, dos seus descontos.

E num quadro assente em desafogo financeiro (cujos saldos registados ultrapassam os mil milhões de euros) é expectável que interesses contrários aos dos beneficiários se venham a agudizar, nomeadamente vindos do sector privado que opera na área da Saúde, cujos objectivos são obter lucros com a venda de serviços de saúde.

0s principais interessados na sustentabilidade e reforço da ADSE são os trabalhadores e aposentados beneficiários, e o caminho que os candidatos da LISTA B defendem passa por garantir a sustentabilidade deste Instituto Público e assegurar que os direitos dos seus beneficiários são respeitados e ampliados.

A LISTA B é composta por Henrique Vilallonga, Manuel Ramos, Maria Celeste Mestre e José Alberto Marques (efectivos); João Oliveira, Tânia Trindade, Manuela Nunes e Fernando Jorge Fernandes (suplentes). Mandatários: Sebastião Santana e Mário Nogueira.